segunda-feira, 27 de outubro de 2008

ADOTE A CIDADANIA ECOLÓGICA

Voltaire dizia que “não prestamos para nada se só formos bons para nós próprios”. Esta frase do filósofo e historiador francês revela muito sobre nosso comportamento, escolhas, atitudes e omissões, além de explicar muito bem os pilares da Cidadania Ecológica. O “só ser bom para nós próprios” é quase um mantra nos dias de hoje: palestras ensinam como ter sucesso pessoal acima de qualquer coisa, livros mostram como ser o melhor entre os melhores, treinamentos propagam a idéia de que o mundo é uma grande vitrine e nós devemos saber como nos vender.

Estava numa palestra esta semana e ouvi o cidadão explicar para a atenta platéia que nosso papel na sociedade está reduzido a apenas dois movimentos, ou estamos vendendo ou comprando. Pela teoria dele o tempo todo executamos uma dessas ações - vender ou comprar. Ele ainda ensinou que, para obter sucesso na grande feira da vida, é preciso saber vender com lucro e comprar barato.

Achou normal? Eu também, infelizmente. Este é “só ser bom para nós próprios”, o mantra repetido milhares e milhares de vezes. Podemos imaginar que, como a palestra era sobre empreendedorismo, este é um conceito empresarial, quase uma receita de sucesso que o palestrante ensinava para os presentes.

Quem tem mais de 30 anos, ou lê muito, vai se lembrar da famosa Lei de Gérson, fruto de um comercial de cigarros na televisão em 1976 (sim, houve um tempo que as fábricas de cigarro eram um dos maiores anunciantes da televisão) no qual o ex-jogador de futebol falava uma pérola: “gosto de levar vantagem em tudo, certo?”. Viu como, mesmo passados 32 anos os conceitos ainda permanecem?

Nós ainda continuamos querendo levar vantagem em tudo. Usamos os recursos naturais sem nos preocuparmos com a produção e destinação das toneladas de lixo que este comportamento gera; colocamos nossos interesses acima dos da coletividade porque assim é muito mais confortável para nós mesmos; sempre damos o troco para não levar desaforo pra casa; somos bons defensores de nossas idéias mas péssimos ouvintes das idéias alheias; acusamos os erros dos outros e alimentamos nosso ego com nossos “inúmeros e fabulosos” acertos.

Nosso comportamento é fruto da nossa consciência, ou seja, da nossa capacidade de conhecer valores e mandamentos morais e aplicá-los nas diferentes situações. A Cidadania Ecológica quer estimular a prática da consciência dentro de um processo dinâmico e contínuo, que combina qualidades e virtudes humanas para tornar mais saudáveis as interações ambientais. A Cidadania Ecológica é para transformar boas idéias em ações, vontade de fazer em atitude, determinação em caminho, desenvolvimento em equilíbrio, conteúdo em verdade e o planeta em um mundo melhor.

Começamos citando Voltaire e podemos terminar com ele: “uma conduta irrepreensível consiste em manter cada um a sua dignidade sem prejudicar a liberdade alheia”.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

STAND UP: LEVANTE-SE E FAÇA SUA PARTE

Campanha mobiliza brasileiros a acabar com a pobreza e a desigualdade

Tem início no próximo dia 17 e segue até domingo, 19, a mais nova edição da campanha “Stand Up – Levante-se e Faça a sua Parte contra a Pobreza e pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio”. O Stand Up é uma mobilização global para acabar com a pobreza e a desigualdade na qual pessoas de todo o mundo irão se levantar em manifestações para que governos, empresas e toda a sociedade, juntos, mantenham suas promessas, se comprometam e dividam a responsabilidade de alcançarmos os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs) até 2015.

Em 2006, 23,5 milhões de pessoas em mais de 100 países participaram do Stand Up. Em 2007, o número de participantes estabeleceu um novo recorde no Guinness Book: mais de 43 milhões de pessoas participaram desta ação mundial. Diversas atividades, em todo o Brasil, envolveram milhares de pessoas em 2007. O destaque no país foi o evento no Maracanã, onde o público de 85 mil pessoas que lotou o estádio para ver a partida entre as seleções brasileira e equatoriana assistiu a um vídeo do jogador Bebeto, que convidava a torcida a participar da Campanha. Destaque também para os eventos que aconteceram no ABC Paulista, onde mais de 20 mil pessoas se reuniram contra a pobreza e a desigualdade.

Em 2008, ano que marca a metade do prazo estabelecido de 2015 para a implementação dos ODMs, os organizadores colocam um novo desafio aos participantes: não basta somente se levantar e manifestar apoio à causa. É hora de assumir o compromisso de fato por meio do envio de cartas ao governo, da organização de atividades de conscientização, da distribuição de materiais, do plantio de árvores ou de outras formas de contribuir para o fim da pobreza. (Fonte: UNIC Rio)

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

CIDADANIA

A cidadania, assim como o meio ambiente, diariamente está sendo ameaçada e impactada. Direitos e deveres são coletivos, servem para assegurar o pleno equilíbrio socioambiental das espécies que vivem em nosso planeta e não podem existir somente nas palavras.

Ter atitude significa ser responsável pelo que fazemos e principalmente, pelo que não fazemos. O ser humano é um ser livre mas, por não praticar a plena cidadania, não pode exercer sua própria liberdade. Falta-nos a sintonia com o meio, a consciência de nossas fragilidades e a convicção de nossas capacidades; sobra arrogância, prepotência, comodismo, ganância e principalmente, egoísmo.

Há um círculo vicioso que parece nos condenar ao ritmo artificial da vida, inspirado em valores materiais. Esquecemos que somos os únicos responsáveis por nossa própria evolução, temos este privilégio mas estamos negando nossa cidadania.

Somos todos cidadãos do mundo, do país, do estado, da cidade, do bairro, da rua, da empresa em que trabalhamos, da escola em que nossos filhos estudam, do posto de saúde que frequentamos, dos ônibus que utilizamos, dos serviços e produtos que compramos, do que fazemos e do que nos omitimos.

Este blog quer discutir o nosso papel no mundo. Não é uma crítica nem uma tentativa de impor opiniões, é apenas um conceito novo, a idéia de ver nascer a cidadania ecológica. Participe, você também é parte deste mundo "moderno" que tem mais de 4,5 bilhões de anos.